Não geração de resíduos, reutilização e reciclagem no enfrentamento do aquecimento global

Por Caroline Oliveira e Victoria Risso*

Com o objetivo de discutir a influência dos resíduos sólidos no clima, aconteceu na ultima quarta-feira (7) o 2º Encontro do Ciclo de Diálogos Resíduo Zero

 

Resíduos sólidos, mitigação dos gases de efeito estufa (GEE) e geração de energia foi o tema do 2º Encontro do Ciclo de Diálogos Resíduo Zero, uma parceria entre Aliança Resíduo Zero Brasil e UMAPAZ, Departamento de Educação Ambiental da Secretaria do Verde e Meio Ambiente.  O evento aconteceu na última quinta-feira (07) e contou com a presença de Laura Ceneviva, do Comitê Municipal de Mudanças do Clima e Ecoeconomia de São Paulo, Dimitri Auad, do Conselho Estadual do Meio Ambiente e membro da ARZB, Clauber Leite, co-promotor da ARZB, e Bruna Costa, da Empresa Biogás Ambiental. A mesa ainda teve a moderação de Elisabeth Grimberg, coordenadora de Resíduos Sólidos do Instituto Pólis e também co-promotora da ARZB.

IMG-20160707-WA0014
Da esquerda para direita: Bruna Costa, Clauber Leite, Elisabeth Grimberg, Dimitri Auad e Laura Ceneviva

O que embasou o Ciclo de Debates foi a necessidade de se discutir o que se tem feito e qual é o destino dos resíduos sólidos na interface com o clima. Segundo Dimitri Auad, o balanço energético entre a produção e o produto final é favorável quando se utiliza matéria prima vinda de reciclagem. Isso porque explorar mais recursos naturais para produzir os produtos demanda mais processos industriais, os quais demandam energia na retirada dos recursos, no transporte e na transformação destes. Inclusive, assim como Laura Ceneviva bem pontuou, efeito estufa e aquecimento global são diferentes. Efeito estufa é um fenômeno esperado, o problema surge com o aumento dos gases de efeito estufa e desemboca no aquecimento global desenfreado.

Diante disso, a necessidade de uma política de bens duráveis também foi pauta do Ciclo de Debates. A questão é uma das frentes de atuação da Aliança Resíduo Zero Brasil, visto que a emissão GEE se relaciona com a produção e o manejo de resíduos sólidos. Atrelada a essa política de bens duráveis está a ideia do consumo responsável e sustentável. É essencial diminuir a produção de produtos a partir de novas matérias-primas e fomentar a produção de bens duráveis ou reciclados, uma vez que com isso diminui a demanda de processos industriais que se utilizam de energia, diminuindo também a emissão de GEE.

Dentro da esfera municipal, Laura Ceneviva fez um panorama sobre a cidade de São Paulo acerca da produção de resíduos sólidos. Segundo Laura, a perspectiva é que até o ano de 2034 apenas 20% dos resíduos gerados em São Paulo sejam destinados aos aterros sanitários, segundo o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, o que diminuiria significativamente a emissão de metano na cidade. Atualmente cerca de 11 mil toneladas por dia de resíduos sólidos da cidade são destinados aos aterros. E somente 2,5% de resíduos são utilizados em reciclagem.

Também foi falado sobre o Programa de Compostagem de feiras no Bairro da Lapa na cidade de São Paulo, que constitui uma alternativa de tratamento adequado e sustentável, além de educar a população e incentivá-la a realizar a compostagem em suas casas, através do Programa Composta São Paulo, ambos os programas são da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana – Amlurb.

Quando se fala em geração de energia relacionada a resíduos sólidos, devemos eliminar a ideia de incineração, mas investir na biodigestão e na capacidade que temos de diminuir a demanda energética através da utilização de matéria prima vinda da reciclagem. A reutilização, e a não geração de resíduos são as prioridades na Política Nacional de Resíduos Sólidos.

*Caroline Oliveira compõe a equipe de Comunicação do Instituto Pólis; Victoria Risso é secretária executiva da Aliança Resíduo Zero Brasil

Confira a agenda dos próximos encontros do Ciclo de Diálogos Resíduo Zero:

3º Encontro – Resíduos sólidos e promoção social: o movimento de catadores na cidade de São Paulo

Dia: 4 de agosto de 2016, quinta-feira

Horário: das 14h as 17h

Inscrições: em breve

4º Encontro – Resíduos sólidos e educação

Dia: 1 de setembro de 2016, quinta-feira

Horário: das 9h às 12h

5º Encontro – Resíduo zero e as alternativas à incineração

Dia: 6 de outubro de 2016, quinta-feira

Horário: das 9h às 12h

Local: Sede da UMAPAZ

Av. Quarto Centenário, 1268. Acesso pelo portão 7A

Notícias relacionadas:

Você já ouviu falar do conceito de Resíduo Zero?

Ciclo de Diálogos Resíduo Zero: Participe do 1º Encontro na UMAPAZ

 

 

Experiências de não geração de resíduos são apresentadas evento na UMAPAZ

1º encontro do Ciclo de Diálogos Resíduo Zero destacou boas práticas em iniciativas públicas e privadas

mesa completa

O 1º encontro do Ciclo de Diálogos Resíduo Zero buscou apresentar a cooperação entre setores público, privado e da sociedade civil. O evento aconteceu na sede da UMAPAZ, departamento de Educação Ambiental da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, dia 9 de junho, quinta-feira.

No encontro foi apresentada a Campanha Resíduo Zero: foram elaborados três vídeos que pretendem conscientizar a população acerca da temática dos resíduos sólidos para pressionar o governo e os setores empresariais a diminuírem a produção de resíduos e se adaptarem às exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Segundo Carlos Henrique Oliveira, co-promotor da Aliança Resíduo Zero Brasil, a proposta da Aliança é trabalhar com a valorização de resíduos em âmbitos econômicos e sociais, a revisão nos padrões de produção, a não-geração de resíduos e o combate à obsolência programada, além de alertar que os resíduos sólidos podem ser prejudiciais à mudança climática desde o momento da sua produção até seu descarte.

Confira os outros vídeos da campanha: Política Municipal de Resíduos Sólidos e seus atores e Resíduos e as Mudanças Climáticas

Em São Paulo, os resíduos sólidos são compostos por 51% orgânicos, 32% recicláveis e 17% rejeitos, segundo Antonio Storel,  coordenador do Programa de Resíduos Orgânicos da AMLURB (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana). Storel falou sobre as experiências de reaproveitamento de resíduos orgânicos no município. Hoje, já existe um projeto piloto de pátio de compostagem na região da Lapa, do programa Feiras e Jardins Sustentáveis.

A própria sede da UMAPAZ pode ser considerada resíduo zero: no local, os resíduos produzidos são divididos em recicláveis, compostáveis e aterráveis. Lá,  é realizada coleta seletiva e análise diagnóstica da produção de resíduos – ambas feitas de forma participativa, onde todos da equipe colaboram de forma rotativa. Segundo Alessandro Mazzoni e Sérgio Rosenberg, ambos do departamento de Educação Ambiental da UMAPAZ, é necessário sensibilizar o poder público para que o método seja aplicado em outros equipamentos públicos, que servem de exemplo para a sociedade civil.

Fernando Beltrame, presidente da Eccaplan, consultoria em sustentabilidade, contou experiências de resíduo zero em setores privados. A construção de campanhas e materiais de comunicação sobre a questão dos resíduos sólidos é necessária para a disseminação dos conceitos que envolvem a não-geração de resíduos.

A produção de “lixo” é um sintoma da vida urbana. Construir um outro olhar perante aos resíduos que permeiam o cotidiano é necessário para a descentralizar de responsabilidades de setores públicos ou privados. Dessa forma, será possível entendermos que a redução, reutilização e não geração de resíduos sólidos é uma responsabilidade tanto coletiva quanto individual.

DSCN0159.redimensionado

Ciclo de Diálogos Resíduo Zero: Participe do 1º Encontro na UMAPAZ

Dando continuidade à Campanha Resíduo Zero, criada pelas organizações da Aliança Resíduo Zero Brasil, acontece no dia 9 de junho, às 14h, o 1º encontro do Ciclo de Diálogos Resíduo Zero. O evento é voltado para parceiros da ARZB e público geral interessado pelo tema, e pretende incentivar a população a adotar práticas que reduzam a geração de resíduos.

O Ciclo de Diálogos será composto por cinco eventos que acontecerão até o mês de outubro. Neste 1º encontro serão transmitidos os materiais temáticos produzidos pela Aliança Resíduo Zero Brasil, debatidas boas práticas resíduo zero e comemorada a recente parceria da ARZB com a UMAPAZ, departamento de Educação Ambiental da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA).

A Campanha de Mobilização Pró Resíduo Zero foi lançada em maio durante uma formação do Programa Jovem Monitor Cultural, aberta somente para jovens participantes do PJMC. A campanha tem como intuito de conscientizar a sociedade civil sobre a temática de resíduos sólidos e repensar formas de destinação de resíduos e modelos de consumo. A ARZB tem participado de eventos organizados por instituições públicas e organizações governamentais, além de estimulado a criação de polos Resíduo Zero.

O encontro será realizado na sede da UMAPAZ, no Parque do Ibirapuera.

Para participar, clique aqui e preencha o formulário de inscrição.

 

Ciclo de Diálogos Resíduo Zero

Data: 9 de junho, quinta-feira

Horário: 14h às 17h

Local: Sede da UMAPAZ – Av. Quarto Centenário, 1268. Acesso pelo portão 7A

Saiba o que é Resíduo Zero

O que é Resíduo Zero e a Política Nacional de Resíduos Sólidos

Assista os outros vídeos da campanha e confira como foi o lançamento da campanha no PJMC

 

lancamento_da_campanha_e_ciclo_de_dialogos_residuo_zero_1463682332