logo_ARZB

Sobre a Aliança Resíduo Zero

A Aliança Resíduo Zero Brasil nasceu em setembro de 2014, alinhada ao movimento internacional contra o aterramento e a incineração de resíduos. Entre os que promovem a Aliança, há um longo histórico de construção de propostas, projetos e outras ações voltadas para a gestão socioambiental sustentável de resíduos sólidos. Participamos ativamente da construção da Política Nacional de Resíduos Sólidos-PNRS, de audiências públicas do Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, da análise de EIA-RIMAs sobre incineração, do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, organizando debates em municípios, estados e em várias edições do Fórum Social Mundial. Lutamos contra a incineração na Câmara de Deputados, em municípios, em eventos ExpoCatador e em marchas em São Paulo, Rio de Janeiro, São José dos Campos, Brasília, Belo Horizonte, Barueri, São Bernardo do Campo entre outras. Alguns de nós estão há mais de 20 anos nesta jornada.

Nossas frentes de atuação são:

1) pressionar por políticas que instituam um padrão “durável” de produção e consumo, promovendo a transição para uma sociedade ambientalmente sustentável e responsável, que não gere resíduos

2) acelerar a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS

3) pressionar o poder público a assumir sua atribuição de coordenação da implantação de todo o sistema de reaproveitamento de resíduos, incluindo a adoção da coleta seletiva domiciliar de resíduos em três categorias – recicláveis, compostáveis, rejeito – garantindo o tratamento diferenciado para cada categoria;

4) promover a igualdade na cadeia de reciclagem, fazendo com que as organizações autogestionárias ocupem todos os elos do ciclo produtivo, valorizando os catadores e reconhecendo suas cooperativas como prestadoras de serviços a serem remunerados com recursos do setor privado;

5) pressionar o setor privado a se responsabilizar pelo custeio da logística reversa

6) ampliar, fortalecer iniciativas e consolidar políticas públicas em favor da biodigestão e da compostagem, visando à recuperação ou manutenção da qualidade biológica, química e física dos solos.

Desenvolvemos programas de capacitação de gestores públicos em polos municipais e programas de profissionalização para cooperativas de catadores, implementamos sistemas de tratamento de resíduos orgânicos em nível municipal, intermunicipal ou regional e promovemos  o conceito resíduo zero em intervenções urbanas de iniciativa pública ou privada. Também fazemos:

  • Divulgação de notícias sobre resíduos sólidos e sobre as frentes em que atuamos e notas sobre posições dos membros da Aliança perante assuntos afins;
  • Articulação de atores para implementação da PNRS nos três setores público, privado e da sociedade civil;
  • Produção de conhecimento através de artigos.

 

About Zero Waste Alliance Brasil – ZWAB

On september 2014, the Zero Waste Alliance was created in Brazil, aligned on the international movement GAIA – Global Alliance for Incinerator Alternatives that fights against to bary waste in landfill or to burn waste in incinerator or ciemnet kiln. There is a long history between those who are involved in the Zero Waste Alliance which includes proposals, projects and other sustainable socio-environmental management actions related to solid waste. Members of ZWAB participated actively in the National Solid Waste Policy (PNRS) creation, in the public hearing of the National Environmental Council (CONAMA), in the Environmental Studies about incinerators, in the National Solid Waste Plan, organizing debates in municipal and state level and in World Social Forum. We opposed to incinerators in the Chamber of Deputies, in events as ExpoCatador and in marches in São Paulo, Rio de Janeiro, São José dos Campos, Brasília, Belo Horizonte, Barueri, São Bernardo do Campo and other cities. Some of us are in this journey for more than 30 years.

Our actions fields are:

  1. Pressuring for policies that assists a sustainable standard for production and consumption of products, promoting the transition to an environmentally sustainable and responsible society, that doesn’t generate waste.
  2. Accelerating the implementation of the National Solid Waste Policy.
  3. Pressuring public authorities to take on the coordination of implementation of the waste recovery system, including selective collection of the household waste into three categories – reciclables, organics and garbage – guaranteeing the right treatment for each one.
  4. Promoting equality into the recycling cycle where self-management organizations will be placed on the productive chain cycle, giving the value and recognizing the waste pickers as service providers to be paid through public resources.
  5. Pressuring the private companies to take responsibilities for the costing reverse logistics, also called extended producer responsibility.
  6. Expanding and strenghthening initiatives and consolidating benefiting public policies in favor of biodigestion or (anaerobic digestion) and composting through public policies, looking forward to recovering or maintaining the biological, chemical and physical quality of the soil.

We have developed training programs for public managers in at municipal poles and professionalization programs for Waste Pickers Cooperatives, implementing organic waste treatment systems at municipal, intermunicipal or regional levels and we promoted the Zero Waste concept in urban interventions of public or private initiative. We also act in:

  • News dissemination about solid waste and the fields we act, and position of Alliance’s members about other subjects connected with waste;
  • Articulating actors to implement the National Solid Waste Policy into three sectors – public, private and society;
  • Producing knowledge through articles.