Leia mais
lixo-mar-2-plastico-614x415

Oceanos recebem 8 milhões de toneladas de plástico por ano

Fonte: SOS Mata Atlântica Um estudo publicado na revista Science revelou que os oceanos recebem, a cada ano, 8 milhões de toneladas de lixo plástico. “Isso equivale a cinco bolsas de compras cheias de sacos plásticos a cada 30 centímetros no litoral dos 192 países analisados”, disse, em entrevista coletiva, Jenna Jambeck, professora de engenharia ambiental da Universidade da Geórgia, que liderou o estudo. O levantamento analisou dados de resíduos sólidos recolhidos em 192 países em 2010. Antes deste estudo, a última estimativa sobre lixo plástico nos oceanos foi em 1975. Os resultados indicam que, das 275 milhões de toneladas de resíduos plásticos gerados em ...
Leia mais
brasil-pode-reduzir-Abre

Brasil pode reduzir em 74% as emissões de CO2 do lixo

Fonte: Sergio Adeodato - Edição: Mônica Nunes - Planeta Sustentável As ações previstas na nova lei de resíduos, como o consumo responsável para a redução de lixo, a reciclagem e o uso de aterros sanitários para gerar energia, têm o potencial de diminuir drasticamente os gases do efeito estufa. De acordo com estudo do Centro de Tecnologia de Embalagem - Cetea, de Campinas (SP), o corte de carbono emitido pelo lixo brasileiro poderá atingir 74%. Os dados foram divulgados oficialmente na COP16 - Conferência sobre Mudanças Climáticas, realizada em Cancún, no México, e que terminou no dia 10. "Os números reforçam a importância da educação do consumidor e apontam caminhos ...
Leia mais
mudança climatica

El cambio climático visto desde el Sur

Varios peligros amenazan a la humanidad, pero dos de ellos son decisivos y están lejos de resolverse: la guerra nuclear y el cambio climático, según ha señalado Fidel Castro. La pesadilla nuclear no acabó con el fin de la “Guerra Fría” que enfrentó a las dos superpotencias (Estados Unidos y la URSS), nuevos países (Israel, India, Pakistán, Corea del Norte) se unieron al “club” de los poderosos países poseedores de las armas nucleares (Estados Unidos, Rusia, Reino Unido, Francia y China). Poco a poco, el stock ha ido creciendo hasta alcanzar la cifra de 20 000 proyectiles nucleares. El empleo de apenas un centenar de estos sería suficiente para crear un invierno ...