Leia mais

Como cuidar do lixo e do esgoto sem gerar gases de efeito estufa?

Débora Spitzcovsky - 13/11/2013 às 09:00   Apenas 48% das casas brasileiras têm esgoto sanitário, segundo o Ministério das Cidades, e cerca de 30% dos municípios do país não têm nenhuma iniciativa de coleta seletiva, de acordo com dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). Os números – comentados por especialistas durante o seminário de lançamento do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa do Brasil, promovido em 07/11, em São Paulo, pelo Observatório do Clima – deixam claro que a população do Brasil ainda sofre com a ausência de serviços básicos. Na lista de desejos (e ...
Leia mais

Há dificuldade dos municípios em atender a legislação federal, não apenas para os resíduos sólidos, mas também para o saneamento.

Nesta entrevista Carlos Henrique, co-promotor da ARZB, fala da necessidade de planejamento e gestão por parte dos municípios brasileiros para atendimento à Política Nacional de Resíduos Sólidos e a necessidade de integração dos catadores de materiais recicláveis ao processo de coleta seletiva. A entrevista foi ao ar na Rádio Jovem Pan de São Paulo em 28 de julho de ...
Leia mais

Brasil: 28% das cidades destinam resíduos a lixões

Reportagem de Sidinei Fernandes e Railson Santos para a TV Nova Canção, CN Notícias, 27 de Julho de 2015. Um levantamento divulgado nesta segunda-feira, 27, em São Paulo, revelou que quase 40% da população brasileira, 78 milhões, não têm acesso a tratamento e destinação adequada do lixo. Em 28% das cidades, o destino dos resíduos ainda são os ...
Leia mais

Livro ensina crianças a produzir menos lixo e descartá-lo corretamente

Em 'Eu Produzo Menos Lixo', bióloga Cristina Santos faz um alerta ecológico e orienta como reduzir o impacto do nosso consumo no meio ambiente. por Redação RBA São Paulo – “A cada dia, produzimos algum tipo de lixo. Todas as coisas que compramos, depois de certo tempo, ficam velhas, fora de moda ou param de funcionar. Então, jogamos fora aquilo que um dia foi útil para nós.” É assim que a bióloga e pesquisadora Cristina Santos abre o livro Eu Produzo Menos Lixo (Cortez Editora, 40 págs.). A autora contextualiza a produção de lixo desde a pré-história para demonstrar como as mudanças no estilo de vida das pessoas têm causado impacto na sociedade e, ...
Leia mais

Metas de redução de resíduos estão atrasadas no Brasil

Movimentos sociais e consumidores reclamam que medidas do Plano Nacional de Resíduos Sólidos não saíram do papel e cobram ações claras. Brasil não oferece condições plenas para que cidadão reduza a produção de lixo. "O atraso na execução do plano estimulou várias organizações da sociedade civil a criarem a Aliança Resíduo Zero Brasil, da qual o MNCR e o Instituto Polis fazem parte. Para Grimberg, o cumprimento do PNRS exige um pacto conjunto de milhares de empresas – das grandes multinacionais até os comerciantes de bairro."   Depois de 20 anos de discussão, o Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) foi aprovado em 2010 com uma meta ambiciosa: ...
Leia mais

O lixo que desafia um país: Um futuro contaminado

Fonte: Correio Brasiliênse Cavalcanti alerta para os problemas na Estrutural: ameaça ao meio ambiente Os lixões brasileiros vão contaminar os solos, as águas e o ar por cerca de 40 anos depois de serem desativados. A estimativa é de pesquisadores do Instituto de Geociências da Universidade de Brasília (UnB), que identificaram impactos causados pelo lixão da Estrutural. O depósito, considerado o maior do mundo em atividade, é vizinho ao Parque Nacional de Brasília e está localizado na bacia hidrográfica do Paranoá, formadora do lago artificial que circunda a cidade e de onde o Governo do Distrito Federal planeja captar água para abastecer a população. A bióloga ...
Leia mais

Prorrogação do prazo para implementação da lei barra avanços na gestão do setor

Fonte: Rádio Brasil Atual Aterro sanitário: matéria orgânica perdida poderia gerar energia elétrica de biogás e reduzir contaminação do solo (Edilson Rodrigues/Agência Senado São Paulo – A decisão do Senado de prorrogar o prazo entre 2018 e 2021 para as prefeituras se adaptarem à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) poderá provocar "uma acomodação dos municípios", critica a coordenadora de Resíduos Sólidos do Instituto Pólis, Elisabeth Grimberg, para quem as gestões municipais poderão postergar o enfrentamento desse desafio. Em entrevista à repórter Marilu Cabañas, da Rádio Brasil Atual, a especialista diz que já há ferramentas para a ...