Fórum de Cooperativismo e Resíduos Sólidos em SJC teve divulgação do Resíduo Zero

​Na última sexta-feira (24) ocorreu a primeira edição do Fórum Metropolitano de Cooperativismo e Resíduos Sólidos. Realizado na Câmara Municipal de São José dos Campos pelo Comitê Municipal das Cooperativas de São José dos Campos, o evento teve como objetivo discutir propostas para ampliar a participação das cooperativas no mercado e obter contratos com órgãos governamentais.

5dafa40c946d36a5f9ac_480x360_1_1
Representantes de cooperativas da região lotaram o auditório Mário Covas (Foto: Bruno Fraiha/CMSJC) – Fonte: Câmara Municipal de São José dos Campos

A organização do Fórum teve colaboração do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis. Entre os palestrantes convidados estava Nina Orlow, da Rede Nossa São Paulo e co-promotora da Aliança Resíduo Zero Brasil.

Durante o evento houve a oportunidade de divulgação do conceito e de todos os benefícios das estratégias Resíduo Zero e abordados temas como a valorização dos catadores, as responsabilidades do setor empresarial, o incentivo à criação e consumo de bens duráveis em contraponto à obsolescência programada e a responsabilidade estendida do produtor.

Paulo Roberto Palmeira, Presidente do Sindicato das Cooperativas de Produção do Estado de São Paulo, agradeceu a presença da representante da ARZB e disse que contará com a Aliança Resíduo Brasil para 

O presidente da FENAAC, Federação Nacional dos Agentes Comunitários do Brasil, e do Sindicomunitario, José Roberto Prebil, considerou de muita importância a palestra sobre Resíduo Zero, que mencionou a valorização dos profissionais catadores e a oportunidade de conhecimento sobre Resíduo Zero.Também ressaltou que as demais palestras foram de grande relevância para a organização do cooperativismo no Estado de São Paulo, como a de Aramis Moutinho Jr, representante da OCESP – Organização das cooperativas do Estado de São Paulo.

Francisco Biazini, do Transforma, apresentou dados sobre valores não computados do trabalho das cooperativas de catadores, que consistem benefícios indiretos, e o quanto de recursos ainda é desperdiçado na cidade.

A necessidade de alinhar o cooperativismo e as cooperativas de catadores às metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foi destacada por João Paulo Lemos, assistente Jurídico da FENAAC.

Na ocasião, também foi aprovada uma Frente Parlamentar pelo Cooperativismo Joseense na Câmara, com o objetivo de apoiar, incentivar e desenvolver o setor cooperativista joseense e que tem por finalidade “garantir um espaço democrático para um amplo debate sobre as ações a serem implantadas, a fim de desenvolver a atividade na cidade, disseminando essa forma moderna de associação”, disse o Vereador Rogério Cyborg quando apresentou o projeto de resolução em 2015.

Mais informações em:

http://www.camarasjc.sp.gov.br/noticias/4190/vereador+cria+frente+parlamentar+do+cooperativismo+joseense

http://www.camarasjc.sp.gov.br/noticias/5216/forum+metropolitano+debate+na+camara+alternativas+para+o+cooperativismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.