Programa Feiras e Jardins Sustentáveis

São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas - Prefeito de São Paulo Fernando Haddad - Foto Cesar Ogata / SECOM
São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas – Prefeito de São Paulo Fernando Haddad – Foto Cesar Ogata / SECOM

 

PAÍS , ESTADO E MUNICÍPIO:  Brasil, São Paulo, São Paulo

CARACTERÍSTICAS DO MUNICÍPIO

  1. População: 11.967.825 (IBGE, 2015)
  2. IDH: 0,805 (IBGE, 2010)

NOME DO PROJETO: Programa Feiras e Jardins Sustentáveis

CATEGORIA/INICIATIVA: Empresarial () Governamental (X) Individual/Coletiva  (   )

DESCRIÇÃO DO PROJETO

A iniciativa é uma realização da Secretaria de Serviços, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), em parceria com a Subprefeitura da Lapa e a empresa Inova, responsável pelos serviços de limpeza nas regiões norte, oeste e central do município. Localizado em uma área de três mil metros quadrados na Subprefeitura da Lapa, o pátio piloto vem recebendo, desde setembro, cerca de 35 toneladas semanais de resíduos orgânicos, coletados em 26 feiras da região.

O pátio de compostagem descentralizado da Lapa possui 9 leiras estáticas com um eficiente sistema de drenagem, que recolhe o líquido percolado em uma caixa coletora. Este biofertilizante é reaplicado por bombeamento nas próprias leiras e, quando diluído em proporção adequada, pode ser aplicado diretamente nas plantas.

O projeto piloto do pátio de compostagem que vem atendendo a produção de resíduos orgânicos domiciliares e de todas as feiras livres da subprefeitura da Lapa foi inaugurado em 15/09/2015.

O pátio piloto foi criado para evitar que resíduos orgânicos (frutas, legumes e verduras) coletados nas feiras livres de São Paulo sejam descartados em aterros sanitários.

OBJETIVOS

  • Promover a compostagem dos resíduos sólidos orgânicos provenientes das 900 Feiras Livres Municipais e dos serviços de poda da cidade;
  • Ampliar a coleta seletiva de resíduos secos e orgânicos com a inclusão de catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis;
  • Ampliar a compostagem para 50 feiras, trabalhando com Subprefeituras próximas.

 

METODOLOGIA

O pátio piloto do programa Feiras e Jardins Sustentáveis da Lapa adota um sistema de compostagem de resíduos orgânicos baseado em método criado pela Universidade Federal de Santa Catarina e o Cepagro (Centro de Promoção e Estudos da Agricultura de Grupo).

A coleta é realizada na feira livre, feira de diversos tamanhos, onde haja grupo de verdureiros, que produzem 90% do Resíduo Orgânico.  A princípio cogitou-se a ideia de cada permissionário (feirante) ter um contêiner próprio para o depósito do resíduo, porém optou-se sacos plásticos (120 e 240 litros). Estes ficam na calçada, sinalizados, e são de responsabilidade de cada permissionário. Com isso, a feira não precisa terminar para o recolhimento dos resíduos, logo que estes já estarão ensacados. São coletados apenas frutas, legumes e verduras (FLV). Não são coletados peixes e carnes em geral, coco (necessário uma máquina para desfibrar) e madeira (necessário um triturados e separados de magnético).

Para a coleta dos resíduos orgânicos usam-se dois tipos de sacos, o comum o as ecobags. As ecobags são sacos compostáveis, mais resistente, e que facilita a operação, pois ao jogar os orgânicos na leira não é necessário retirá-los logo que esses se decompõem sem deixar rastros químicos. Os sacos normais contaminam o composto através de suas substâncias químicas e no final de transforma em um rejeito. No momento da coleta através do caminhão compactador, ou sem, não faz diferença o tipo de saco. Ainda em fase de teste, não foi decidido qual dos dois será usado definitivamente nas próximas etapas do projeto.

A escolha das feiras se deu primeiramente com a escolha da Subprefeitura. A escolha da Subprefeitura da Lapa teve base no envolvimento da Subprefeitura com o aproveitamento de resíduos de podas e o contato e interesse da equipe técnica com a compostagem.  Também foi levado em consideração com o fato desse resíduo de podas servir para cobrir os resíduos orgânicos nas leiras. Após isso, optou-se por trabalhar com as 26 feiras da Subprefeitura.

A abordagem nas feiras foi feita inicialmente com a Coordenadoria de Feiras Livres, que entra em contato com os

permissionários e funcionários das feiras para a adesão no projeto. Segundo Storel, Coordenador do Programa de Resíduos Orgânicos da AMLURB, a adesão foi muito boa e o desejo de continuar com o projeto pelos permissionários se dá através da boa impressão passada aos clientes através da imagem de uma feira livre limpa.

Para a adoção das práticas pelos permissionários houve uma divulgação e comunicação continua pela empresa Inova, na qual se trabalhou a conscientização dos permissionários. Através disto, cerca de 90% dos permissionários aderiram facilmente às práticas de separação dos resíduos orgânicos.

 

Os equipamentos utilizados

  • Na coleta: saco, carrinho de mão, caminhão compactador normal (usado no serviço de limpeza pública);
  • No pátio: caixa de alvenaria para descarga dos orgânicos, carrinho de mão, ferramentas (pá e garfo), sistema de drenagem (líquido acumulado por uma manta impermeável), termômetro.

 

Composta São Paulo e o Programa Feiras e Jardins Sustentáveis

O Programa Feiras e Jardins Sustentáveis e o Composta São Paulo fazem parte de uma estratégia de orgânicos dentro do PGIRS de São Paulo, que é começar a separação pelos resíduos mais simples.

O Composta trabalha com a experiência pessoal, conscientização sobre a reciclagem dos orgânicos, através do minhacário (composteira com minhocas). O Programa Feiras e Jardins abrange grandes quantidades, no âmbito institucional, tratando os orgânicos por meio da decomposição biológica.

Em ambos os casos há a eliminação de patógenos, agrotóxicos (no caso de uso do composto em hortas) durante o processo.

A experiência pessoal se faz necessária antes de qualquer grande campanha sobre separação de resíduos ser lançada, pois a população estará ciente de como agir. É uma primeira fase para o entendimento e visualização dos benefícios e importância desta atividade. Trabalha-se assim a ressignificação dos orgânicos e da compostagem para a cidade.

Isso ajudará na valorização de terrenos, por exemplo, que sejam próximos a pátios de compostagem.

 

O composto

 

São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas - Prefeito de São Paulo Fernando Haddad - Foto Cesar Ogata / SECOM
São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas – Prefeito de São Paulo Fernando Haddad – Foto Cesar Ogata / SECOM

A distribuição fica a cargo da Subprefeitura da Lapa. A princípio será realizada para utilização em praças e jardins, usado como teste para comparação entre os que usam o composto e os que não o usam. Também são distribuídos para Hortelões Urbanos cadastrados e algumas áreas degradadas. Outra parte é levada para análise, experiência didática (educação ambiental). Na expansão poderá ser direcionado para os agricultores de Parelheiros.

 

 

 

 

 

 

 

INDICADORES QUANTITATIVOS

  • Compostagem de 6 toneladas de resíduos orgânicos por dia;
  • Compostagem de 35 toneladas de resíduos orgânicos por semana;
  • Coleta em 26 feiras da Subprefeitura da Lapa;
  • Coleta de 200 toneladas de poda por semana

INDICADORES QUALITATIVOS

Com este projeto coloca-se em prática o plano diretor estratégico, o plano municipal de mudanças climáticas e os compromissos que o Brasil acabou de assumir na COP 21 de Paris, em dezembro de 2015. Com ele serão reduzidas as emissões de carbono nos aterros e com o transporte, além de sequestrar carbono com o uso do composto na agricultura e permitir a reconstrução de um cinturão verde, além de:

  • Evitar a produção de chorume e metano;
  • Descentralizar do tratamento de resíduos;
  • Combater da crise hídrica (compostos retém a água por mais tempo nos solos – cada 1g de composto retém cerca de 4 vezes mais o peso dela no solo).

 

RESULTADOS

Até agosto de 2016, o pátio da Lapa servirá como referência para outros pátios e quatro centrais de compostagem – cada

São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas - Prefeito de São Paulo Fernando Haddad - Foto Cesar Ogata / SECOM
São Paulo 2015-12-15 Inauguração do Pátio Descentralizado de Compostagem de Resíduos de Feiras Livres, Serviços de Poda e Roçagem de Áreas Ajardinadas – Prefeito de São Paulo Fernando Haddad – Foto Cesar Ogata / SECOM

uma com capacidade para processar, diariamente, 50 toneladas de resíduos– que a Prefeitura pretende implantar no município no próximo ano, descentralizando o processo e diminuindo os custos com transporte dos materiais.

A coleta seletiva dos resíduos orgânicos das feiras livres em junção com os resíduos de poda permitem a promoção de um composto de alta qualidade para uso na agricultura urbana e periurbana de São Paulo, em perfeito atendimento ao Art.º 36, V, da Lei 12.305/10.

* Meta viabilizada por meio de mudanças nas diretrizes de execução do contrato de concessão dos serviços de varrição e coleta de resíduos sólidos.

 

MUDANÇAS E PROBLEMAS DESDE O PLANO INICIAL

Na primeira fase do programa alimentava-se as leiras 2 vezes por semana, atualmente apenas 1 vez por semana mostrou-se suficiente.

No início era utilizada a palha do Mercado Municipal de São Paulo (que acompanha o abacaxi e a melancia na caixa de transporte) para cobrir os resíduos. Porém, com o tempo esta começou a ser comercializada depois de notarem a demanda. Para substituir a palha os organizadores notaram que não poderiam utilizar a grama de praça por ser muito suja e escolheu-se utilizar a grama de córrego (capim com volume maior).

O maior problema foi adaptar os contratos da Prefeitura, pois são vários tipos envolvidos (administração das áreas, de poda e limpeza de feiras) e envolver a Coordenadoria de Feiras.

O desafio é integrar a gestão de diferentes órgãos e diferentes contratos. São necessários 1 gestor responsável em cada órgão e um gestor para o uso do composto, por que há a necessidade de um monitoramento contínuo.

Um dos problemas ainda não sanados é o fim das feiras que estende além do horário permitido, alterando a duração diária da operação do pátio de compostagem que vai até mais tarde do que se pretendia.

 

DESAFIOS

Compostar 400 toneladas diárias, oriundos das 900 feiras-livres da cidade (meta 92).

 

CONTATO

Storel – Coordenador do Programa de Resíduos Orgânicos da Amlurb

Telefone: (11) 3397-1812

Email: aojunior@prefeitura.sp.gov.br

 

FONTES

Plano de metas 2013-2016: http://planejasampa.prefeitura.sp.gov.br/metas/meta/92/. Acesso em: 18/01/2016

Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos da Cidade de São Paulo: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/servicos/arquivos/PGIRS-2014.pdf. Acesso em: 18/01/2016

Prefeitura inaugura central de compostagem para reciclar resíduos das feiras livres: http://www.capital.sp.gov.br/portal/noticia/9368#ad-image-10. Acesso em: 19/01/2016

Em Ato Simbólico, Prefeito Fernando Haddad Conhece Resultado Da Compostagem Em Pátio Assessorado Pelo Cepagro Em São Paulo. https://cepagroagroecologia.wordpress.com/. Acesso em: 19/01/2015